quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Mas como há-de teu corpo em mim ter paz?


How To Look Good Naked, Lara Stone por Patrick DeMarchelier, 2010


— Quantas mulheres existem para quem a beleza mais não é do que a esperança de fazer fortuna, a carta jogada na mesa, o trunfo, o ás escondido na manga à vista dos olhos de todos?
— Não sei, o meu conhecimento da humanidade é insuficiente, e nem por mim respondo, tenho muito cuidado com quem partilho memórias, essas coisas podem durar uma vida inteira; mas arrisco dizendo que tantas quantos os jogadores batoteiros.

4 comentários:

  1. Considero esta postagem exemplar. E há tanta coisa a dizer sobre isto. Não são raras as vezes em que me aparece uma coisa em que tenho a sensação de poder dizer muito. Aquilo enche-me o olho e depois caio no oposto: tanto se pode dizer muito como quase nada.
    Ora bem, não sei isto é verdade, em absoluto, mas talvez." Quantas mulheres...." e o resto já sabes. Tenho a sensação de estar muito longe desta realidade e de, talvez, nem perceber nada do que se passa no mundo. O trunfo guardado na manga! Por outro lado, ainda que eu não conheça muito e não queira acreditar no que, talvez, seja óbvio, há quem me diga que isto é mesmo verdade. Que as mulheres procuram qualquer coisa parecida com o que aqui está e que o trunfo da beleza funciona muito bem. Se assim é, os homens é que são parvos. Mas podem até gostar! E será que o contrário não existirá? Não haverá homens que usam o seu charme? Porque é que se fala tanto nas mulheres associadas a estes "predicados"? Eu não estou aqui para as defender nem acusar. Só queria ver as coisas como elas são. Mas, não há maneira de saber. Isto está sempre a mudar e eu, nem sequer, sei por onde anda aquela coisa que se chama amor! Memórias partilhadas! Ai de mim, também! Não por aquilo que dissesse e a quem dissesse. O "ai" sou eu em questão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois eu, Isabel, que entendo bem esse sentimento que partilha, acrescento que a menina ali de cima, a mim, pouco me diz, e eu gosto de admirar o belo e as belas. Falta-lhe a devida proporção (a mama é maior do que a cara, senhores!!) e há qualquer naquela falha de dentes que não me satisfaz. A legenda não vai mesmo com a menina e a menina não iria mesmo comigo.

      Eliminar
  2. Júlia, concordo com o que diz. As coisas vistas em pormenor são mesmo assim. A menina tem a mama maior que o rosto e faltam-lhe as devidas proporções. Aqui é que bate o ponto. Não tem cintura. Também não será nunca o meu protótipo de beleza. Ela pouco se importa com isso e eu muito menos. Isto, somos nós a falar. A paz que o corpo poderia trazer a alguém ainda leva tempo a chegar. E depende das pessoas. Pronto, só queria dizer mais esta pequena coisa. Deixemos os sentimentos para depois. Tempos virão em que as coisas só serão aquilo que forem ! Até lá, vamos estando por aqui...

    ResponderEliminar