segunda-feira, 17 de setembro de 2012

...

Chegar e partir. Ignorar a saudade de mim mesmo.

7 comentários:

  1. Chegar e nunca partir. Afogar-me na saudade de mim mesma.

    ResponderEliminar
  2. Chegar e partir - não é este o ciclo inevitável da Vida a que todos nós estamos sujeitos?!Não existe a saudade de si mesmo, isto é um atributo relativo a pessoas e coisas e épocas felizes e às vezes nem tanto, mas camufladas pela areia que se escoa da ampulheta individual.

    ResponderEliminar
  3. a saudade de mim mesma, ie, a saudade que fica dentro de mim/nos. Existem figuras de estilo esseerre, e varias formas de interpretacao, nao e linear...ao contrario do que pensa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Xuxi, a constatação de que fomos e do que somos passados os anos, do ponto de vista estético,não é saudade. A saudade é como uma bebida amarga que aliás muita gente aprecia outras não.É um confranger-se de coração, dorido e impotente.
      E devolve-me meu H.Hesseherre.

      Eliminar
  4. Chegar e partir... Chega! Não digas mais nada!

    ResponderEliminar
  5. Saudades de mim, tenho! Muitas vezes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Qual delas Isabel? Qual delas?

      Eliminar