terça-feira, 29 de abril de 2014

Beijo escafandro


Enamorei-me tantas vezes quantos alguns dedos de uma mão. Não te pedirei que rezes por mim, será em vão. Melhor será um beijo, sôfrego, delirante, afogar n'ele o desejo. Depois vir à superfície e respirar, ofegante com a força do abraço. «Ai, que vou sufocar», galhofas tu, eu, acabrunhado, baixo o olhar, e o que vejo? Calções! Não sei que faça, um ligeiro amasso ou falo de corações? Falta-me a inspiração, um momento, fica, não fujas, eu vou ali às Rimas roubar o Camões. «Demoras muito?», continuas a zombar. É desta que me rendo, penso, que se dane, abandono o versejar, agarra-me: vou mergulhar!  

2 comentários:

  1. A D O R O ISTO. Que lindo!

    ResponderEliminar
  2. Calções. Acho óptimo num outfit sofisticado ou descontraído. Fica sempre bem.

    ResponderEliminar